Siga nas Redes Sociais

Olá, o que procuras?

Pets

O privilégio de unir trabalho e prazer com pets

Apaixonados por cães e gatos têm diversas oportunidades profissionais pelo País
Fotos: Pixabay

Você que acompanha toda semana a coluna no Em Pauta Online já pensou poder trabalhar, ter uma renda e ao mesmo tempo fazer algo que você gosta demais? Essa oportunidade tem se ampliado pelo Brasil para quem gosta de gatos e cachorros, sendo possível desenvolver uma atividade profissional com os animais sem precisar abrir um negócio próprio.

 De acordo com o IPB – Instituto Pet Brasil, o setor pet gerou mais de 2,83 milhões de empregos diretos e indiretos em 2021, crescimento de 6,2% em relação ao ano de 2020. 

Com mercado aquecido, serviços como dog walker, um passeador de cachorros, e pet sitter, cuidador de animais, se popularizaram na rotina dos tutores.

“Depois da pandemia, muitas pessoas precisaram de ajuda para cuidar dos seus dogs e ter alguém perto de casa que possa levá-los para um passeio ou cuidar enquanto o tutor faz uma viagem rápida já ajuda na rotina”, explica Thiago Calixto, sócio-fundador e diretor de expansão da Doggi.

Com essas oportunidades de passeador de cachorros e cuidador de animais, por exemplo, é possível trabalhar com o bem-estar animal gastando pouco, sem a necessidade de abrir uma empresa e fazendo o que se gosta.

Quem opta por ser um cuidador de cachorros para o dia a dia ou até mesmo receber os animais por um tempo em casa, como em um hotel, é preciso realizar algumas adaptações no espaço. 

Alguns cuidados são essenciais para se tornar um hotel ou uma creche caseira para cachorros, como oferecer padrões mínimos de segurança com proteções nas janelas e sem rotas de fugas, higiene local adequada, além de gostar muito dos companheiros de quatro patas – essa é a parte mais fácil. 

Para quem não tem a disponibilidade de receber os animais em casa, existe a possibilidade de se tornar um passeador de cães. Para isso, além do tempo, é importante ter um treinamento adequado com um adestrador profissional para realizar a atividade. 

Mesmo que seja uma ação simples, cada cachorro tem um comportamento diferente, por isso, o treinamento se torna uma grande ferramenta para o passeador, que além de dar garantia ao tutor sobre seu cuidado e conhecimento, também torna esse momento mais prazeroso para o cachorro”, afirma Calixto. 

Para incentivar esses trabalhadores autônomos, a Doggi disponibiliza no seu site o cadastro de novos profissionais. A proposta da plataforma é unir quem oferece este tipo de serviço o mais próximo possível da casa dos tutores. A candidatura para essas funções acontece no próprio site da rede. 

Esse trabalho pode ser uma renda extra ou se tornar a principal fonte do trabalhador, pois um passeador, por exemplo, pode faturar até R$ 5.000,00 ao mês.

Clique para comentar

Envie seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

5 + 5 =