Investigação conclui que deputada Flordelis é mandante da morte de marido

Investigação conclui que deputada Flordelis é mandante da morte de marido

Da Agência Brasil 

 

As investigações sobre a morte do pastor Anderson do Carmo apontam que a viúva, deputada federal Flordelis (PSD-RJ), foi a mandante do assassinato, conforme a Polícia Civil.

No entanto, conforme o Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) e a PC, Flordelis não pode ser presa agora por causa do foro privilegiado.

A deputada foi indiciada pelo crime de homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio, falsidade ideológica, uso de documento falso e organização criminosa majorada. Cópia do inquérito será encaminhado à Câmara dos Deputados para a adoção de medidas administrativas.

Operação

Nesta manhã, a polícia e o MP-RJ realizam a Operação Lucas 12, que busca cumprir nove mandados de  prisão e 14 de busca e apreensão contra onze envolvidos na morte do pastor. Os endereços são no Rio de Janeiro, Niterói, São Gonçalo e em Brasília.

No total, sete pessoas foram presas nesta manhã, dentre eles cinco filhos e uma neta da deputada sendo: Marzy Teixeira da Silva (filha adotiva); Simone dos Santos Rodrigues (filha biológica); André Luiz de Oliveira (filho adotivo);Carlos Ubiraci Francisco Silva (filho adotivo); Adriano dos Santos (filho biológico).

A mulher do ex-policial Marcos, Andreia Santos Maia, e a neta de Flordelis, Rayane dos Santos Oliveira também foram presas.

Outros dois filhos de Flordelis (Flávio dos Santos Rodrigues e Lucas Cézar dos Santos de Souza) e o ex-PM Marcos Siqueira Costa já estavam presos.

Motivação do crime

Conforme informações do MP-RJ, a motivação do crime seria o fato de o pastor Anderson “manter rigoroso controle das finanças familiares e administrar os conflitos de forma rígida, não permitindo tratamento privilegiado das pessoas mais próximas a Flordelis, em detrimento de outros membros da numerosa família”.

Os demais denunciados teriam participado do planejamento, incentivo e convencimento para a execução do crime, além de tentativas de homicídio anteriores com o uso de veneno.

Relembre o caso 

O pastor Anderson do Carmo foi assassinado no dia 16 de junho do ano passado, dentro da própria casa, no bairro Badu, em Niterói. Na ocasião, Flordelis relatou que o pastor teria sido morto durante um assalto, após o casal ter sido seguido por elementos suspeitos em uma moto. Ele foi atingido por tiros na garagem, quando retornou ao carro para buscar algo que tinha esquecido.

O delegado Allan Duarte dará mais detalhes da investigação em entrevista coletiva às 10h de hoje, na Cidade da Polícia, no Rio.