Siga nas Redes Sociais

Olá, o que procuras?

Eleições 2022

Bolsonaro não vai contestar resultado da eleição na Justiça

Bolsonaro trabalha no texto de um pronunciamento formal com aliados próximos.

O presidente Jair Bolsonaro (PL) fará sua 1ª declaração pública depois de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ser eleito o 39º presidente da República Federativa do Brasil nesta 2ª feira (31.out.2022) ou na 3ª feira (1º.nov). Candidato à reeleição derrotado, isolou-se durante a noite de domingo, depois de proclamado o resultado das eleições de 2022.

Bolsonaro trabalha no texto de um pronunciamento formal com aliados próximos. O chefe do Executivo derrotado não dará entrevista. Será apenas um pronunciamento. Por enquanto, decidiu que não recorrerá à Justiça para contestar o resultado da eleição.

No pronunciamento à nação, Bolsonaro deve apenas falar sobre o que considerou um jogo desigual, com muitas decisões da Justiça Eleitoral que o teriam prejudicado.

Segundo apurou o Poder360, o presidente avalia que sua derrota se deu sobretudo pela perda de votos em São Paulo e um pouco em Minas Gerais em relação a 2018. São Paulo foi decisivo. 

O presidente teve no Nordeste em 2022 mais votos em termos percentuais do que recebeu em 2018. Já no Sudeste, Bolsonaro protagonizou uma debacle eleitoral. Em 2018, no chamado “Triângulo das Bermudas da política” (São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais), o presidente teve 65,5% dos votos válidos. Agora, foram só 54,1%.

Bolsonaro diz ainda que, na reta final, 2 episódios o prejudicaram muito: 

  1. o vazamento de estudo do Ministério da Economia dizendo que o governo cogitava não dar mais reajustes para o salário mínimo; e
  2. a atitude de Roberto Jefferson contra agentes da Polícia Federal.

Bolsonaro diz a aliados que o episódio envolvendo a deputada Carla Zambelli (PL-SP) pode ter prejudicado a campanha, mas em menor escala.

O que já está mais que decidido: Bolsonaro não telefonará para Lula.

20 HORAS SEM PRONUNCIAMENTO

Assim que foi proclamado o resultado, Bolsonaro ficou consternado dentro do Palácio da Alvorada. Pediu a aliados para não incomodarem. Ele se recusou a receber, por exemplo, o ministro Adolfo Sachsida (Minas e Energia) no domingo (30.out).

Bolsonaro recebeu filhos, o ajudante de ordens, Mauro Cid, e ligou para o ministro da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira. Também esteve com o ministro Anderson Torres, da Justiça e Segurança Pública. Não quis receber deputados e senadores próximos nem integrantes do QG da campanha.

Às 22h04 do domingo, as luzes do Palácio da Alvorada foram apagadas. Jornalistas da mídia nacional e internacional aguardavam a declaração do chefe do Executivo, mas saíram sem a fala de Bolsonaro.

Na ligação que teve com Moraes, o presidente do TSE informou que a Justiça Eleitoral estava apta a anunciar o eleito no pleito e que proclamaria o resultado. Moraes cumprimentou a ambos pela participação na eleição.

O ministro não detalhou se conversou sobre outros assuntos. Sobre a ligação a Bolsonaro, disse que o chefe do Executivo o atendeu com “extrema educação”. 

“O presidente Bolsonaro me atendeu com extrema educação, agradeceu a ligação e não foi mais nada”. Moraes contou sobre as ligações aos candidatos durante entrevista que deu na sede da Corte Eleitoral, ao final da apuração das eleições.

Com 99,99% das urnas apuradas, o sistema do TSE aponta Lula com 50,90% (60.343.307 votos). Bolsonaro aparece com 49,10% (58.205.269 votos).

Bolsonaro já disse que respeitaria o resultado de “eleições limpas”. Deu a declaração em entrevista ao Jornal Nacional, da Rede Globo, no final de agosto.

Moraes disse não ver “nenhum risco real” de contestação do resultado das eleições de 2022. “Se houver contestações dentro da regra, elas serão analisadas normalmente”. 

Clique para comentar

Envie seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete + 6 =