Proibido de vender ao lado da feira, pastor tem material destruído em Tefé

Proibido de vender ao lado da feira, pastor tem material destruído em Tefé

Da redação 

Desempregado e em busca de recursos para sustentar os filhos e a esposa, um pastor morador de Tefé, cidade distante 522 quilômetros de Manaus, teve seus produtos destruídos por servidores da Prefeitura, que o impediram de comercializar no local. O vídeo foi encaminhado para equipe do EM PAUTA nesta terça-feira (6).

No vídeo, o pastor lamenta a forma agressiva e desrespeitosa que trataram seus filhos, que comercializavam lindos vasos de plantas, que são confeccionados por ele, como forma de buscar recursos para o sustento da família.

“Tá vendo aí pessoal, esses são os vasos que meus filhos foram vender lá perto da feira, até para ajudar no sustento da nossa família, para comprar o pão de cada dia, pois, o momento que vivemos é muito difícil, por conta da pandemia, do desemprego, e olha como eles foram tratados, foram expulsos e maltratados por seguranças municipais da feira”, disse o pastor.

Segundo populares, essa não é a primeira atitude truculenta de servidores da Prefeitura a mando do prefeito, que deixou claro que ‘quer uma cidade organizada’, no entanto, essa ‘organização’, vem tirando o sustento de muitas famílias. (Veja o vídeo completo no final da matéria)

“Ele quer manter tudo organizado, sem vendas, em ambulantes, sem comércio, mas, não gera emprego nem renda, só emprega na prefeitura os familiares dele, que são secretários e recebem em cargos comissionados. O Normando não disponibiliza oportunidades para os jovens, até chegou a fazer um curso de formação, mas, que não teve utilidade, pois, os jovens não conseguem empregos. A prefeitura não disponibiliza. Até os pais de família passam por situações constrangedoras para levar o pão de cada dia”, disse uma senhora de 45 anos que não quis se identificar com medo de represálias.

Outro rapaz disse que os comerciantes informais são perseguidos pela atual gestão, que não buscar solucionar o problema, não formaliza os informais e maltrata a população mais carente. “Esse prefeito não entende, que até nos países mais desenvolvidos, como China, Estados Unidos, tudo tem vendas de ruas, mas, organizado. Isso que é respeitar a população, dando oportunidade para quem quer vender, possa vender e ganhar seu sustento”, disse o rapaz.

Veja o vídeo: