Siga nas Redes Sociais

Olá, o que procuras?

Política

Ex-secretário da Fazenda pedia propina de R$ 411 mil para liberar pagamentos

Inquérito envolve ex-secretário de Fazenda, Afonso Lobo

Em uma audiência promovida pelo FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação), o representante da empresa Gazin, Jeferson da Silva Fernandes, acusa o ex-secretário da Fazenda, Afonso Lobo, de ter pedido propina de 10% do valor de R$ 4.111.460,00 do contrato da empresa Gazin com a Secretaria de Educação (Seduc). O documento em vídeo foi inserido n inquérito polícia da “Maus Caminhos”. O pedido de propina foi feito antes das eleições.

Durante a audiência, o representante da empresa Gazin afirma que todo mundo (empresários) sabia do esquema, pois, o ex-secretário (Afonso Lobo) havia bloqueado o pagamento de todas as empresas que não haviam acordado com o esquema. Lobo é apontado nos inquéritos da “Maus Caminhos” de participar de um esquema criminoso que desviou milhões da saúde do Amazonas.

O representante da empresa Gazin afirmou que já havia conversado com um assessor do ex-governador, o procurador-geral do Estado, o secretário da Casa Civil, conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM) e com o próprio secretário de Fazenda (Afonso Lobo), mas, o problema não havia sido resolvido.

Com as informações contidas no vídeo da audiência, a Polícia Federal resolveu abrir um inquérito policial para investigar o possível pedido de pagamento de propina por parte de servidores da Sefaz.

O pedido de propina de 10% do valor do contrato seria para que o ex-secretário pudesse liberar recursos financeiros do orçamento discal do FNDE, transferido para a Seduc, para pagamento de compra de 2.410 aparelhos de ar-condicionado à empresa Gazin.

 

Confira o vídeo da audiência

 

 

Clique para comentar

Envie seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 − nove =