Siga nas Redes Sociais

Olá, o que procuras?

Manchete

Quatro nomes femininos estão entre os mais cotados para a Assembleia Legislativa 

Alessandra Campêlo (MDB), Nejmi Aziz (PSD), Liliane Araújo (PSD) e Mayara Pinheiro (PP) são os nomes mais cotados para preencher vagas na Assembleia Legislativa.

Da redação

A Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM) poderá ter até quatro representantes mulheres, após as eleições gerais deste ano. As mais cotadas são: Alessandra Campêlo (MDB), Nejmi Aziz (PSD), Liliane Araújo (PSD) e Mayara Pinheiro (PP). O movimento feminista vem ganhando força na capital e no interior do Estado e poderá mudar o atual quadro do Legislativo Estadual, que tem apenas a deputada Alessandra Campêlo como representante das mulheres, entre os 24 deputados estaduais.

Alessandra Campêlo

Alessandra Campêlo é natural de Manaus, formada em Jornalismo pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e tem Especialização em Gestão Governamental pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA). Em 1996 a parlamentar se filiou-se ao Partido Comunista do Brasil (PCdoB). No biênio 1997 e 1998, foi eleita presidente do Diretório Central dos Estudantes (DCE-UFAM). No mesmo período, Alessandra Campêlo também atuou como vice-presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE), na região do Amazonas e de Roraima.

Durante sua gestão no DCE, notabilizou-se pelo resgate do Festival Universitário de Música (FUM), pela luta contra a privatização do ensino público e em defesa de uma Universidade gratuita e de qualidade, e a favor da meia-passagem para os estudantes.

Alessandra participou ativamente das discussões políticas nacionais, com participações nos Congressos da UNE. Em 2001, Alessandra Campêlo foi aprovada em concurso público para o quadro de servidores públicos da Secretaria de Estado da Segurança Amazonas (SSP-AM). Foi assessora parlamentar na área de Comunicação Social no gabinete da então deputada Federal Vanessa Grazziotin (PCdoB), hoje senadora.

De 2002 a 2006, atuou na assessoria parlamentar do deputado estadual Eron Bezerra (PCdoB). Em 2007, foi coordenadora do Departamento de Eventos da Secretaria de Estado da Produção Rural (Sepror). Neste mesmo ano, assumiu a Secretaria Executiva Adjunta de Administração e Finanças.

Na gestão Omar 

Já no período de março a junho de 2011, Alessandra Campêlo foi nomeada secretária Executiva da Sepror. Em fevereiro de 2012, a convite do então governador Omar Aziz (PSD), Alessandra Campêlo assumiu o comando da Secretaria de Estado da Juventude, Desporto e Lazer (Sejel). Com dois anos no cargo, a gestora revolucionou o esporte amazonense, com apoio permanente aos atletas, paratletas,  federações, associações, ligas de bairros, comunidades rurais e grupos de pessoas idosas. Alessandra ficou até 4 de abril de 2014 da Sejel.

Em 5 de outubro de 2014, foi eleita deputada estadual com 25.361 votos, ocupando a décima primeira vaga na Assembleia Legislativa. Para as eleições deste ano, a candidata recebeu uma receita, até o momento, de pouco mais de R$ 500 mil, oriundos do fundo Partidário. A deputada declarou bens no volume de pouco mais de R$ 890 mil.

Nejmi Aziz

Nejmi Aziz é ex-primeira-dama do Estado, casada com o senador Omar Aziz, ganhou grande popularidade das redes sociais, com a bandeira da solidariedade. A primeira-dama do Estado do Amazonas, Nejmi Jomaa Abdel Aziz, recebeu em dezembro de 2011, o mérito de cidadã do Amazonas, após ser condecorada, pelo então presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas, deputado estadual Ricardo Nicolau (PSD), autor da propositura.

Conta milionária

A ex-primeira-dama do Estado declarou do Divulgacand, sistema de divulgação de candidaturas  do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), bens no montante de R$30.329.324,86. A candidata recebeu uma receita de quase R$ 500 mil para gastos com campanha. O maior volume veio do Fundo Partidário.

Liliane Araújo

Outro nome que está na disputa por uma vaga na Assembleia Legislativa é a jornalista Liliane Araújo. Ela que disputou a vaga do governo do Estado, nas eleições suplementares de 2017, vem se mostrando confiante na disputa eleitoral. Liliane que que fazia duras críticas à “velha” política, foi nomeada em novembro do ano passado, para ser a segunda pessoa no Fundo de Promoção Social e Erradicação da Pobreza, sob a presidência de Mônica Mendes, sobrinha do governador. A candidata recebeu, até o momento, uma receita de quase R$ 500 mil para gastos com campanha. A maior parte do recurso é oriundo do fundo partidário. Liliane declarou receita de pouco mais de R$ 25 mil.

 

Veja a nomeação no Diário Oficial 

Mayara Pinheiro

Um nome que vem crescendo no interior do Estado, na disputa pela vaga na Assembleia  Legislativa, é da vice-prefeita de Coari, Mayara Pinheiro. Mayara é filha do ex-prefeito de Coari, Adail Pinheiro, que Durante as investigações da Operação Vorax, surgiram indícios de que estivesse envolvido em uma rede de exploração sexual de crianças e adolescentes. No início de 2014, após reportagens do programa Fantástico da Rede Globo, o Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas decretou a prisão preventiva do prefeito de Coari.

Com uma chapa formada com o irmão, Adail Filho, Mayara emplacou o cargo de vice-prefeita do município. Embalados pelo prestígio do pai e o apoio de caciques políticos  como o empresários Francisco Garcia, o prefeito eleito que pertence ao PP, e sua vice-prefeita, filiada ao PMDB, do senador Eduardo Braga, venceram a disputa com quase 60% dos votos contra 26,3% do atual detentor do cargo, o empresário Raimundo Magalhães, que assumiu a prefeitura em abril do ano passado.

Clique para comentar

Envie seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × três =