Siga nas Redes Sociais

Olá, o que procuras?

Dia a Dia

Projeto de música nos presídios do Amazonas estimula a criatividade dos reeducandos

Aula de música no presídio

Projeto de música “Harmonizar”, criado exclusivamente para os reeducandos do sistema prisional do Amazonas, estimula a criatividade dos presos por meio de uma linguagem artístico-musical. O projeto é desenvolvido através de uma parceria entre a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) e a cogestora das unidades prisionais no Amazonas, a Umanizzare Gestão Prisional.

Durante a terceira semana do mês de abril, o projeto musical é desenvolvido na Unidade Prisional do Puraquequara (UPP), Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat), Penitenciária Feminina de Manaus (PFM) e Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM).

De acordo com o gerente técnico do CDPM, Alexandre Santos, os reeducandos são bem receptivos ao projeto, e por muitos serem vinculados ao culto evangélico, que acontece dentro das unidades prisionais, optam por louvores.

“O professor de canto vem toda semana e se reúne em um espaço destinado a atividade. Os reeducandos estão trabalhando no processo de construção de um coral”, disse o gerente técnico.

Alexandre Santos explica que a música expressa nos reeducandos algo que não pode ser dito em palavras. Sendo a música, a arte de manifestar os diversos afetos ou descobrir a paixão em forma de melodias. O gerente técnico afirma que o projeto tem o objetivo de tirar os presos da ociosidade e promover um momento de interação e companheirismo.

Segundo a psicóloga do Ipat, Simone Condes da Silva, o projeto musical tem como principal finalidade, o resgate da autoestima e a dignidade humana, aproveitando-se o tempo ocioso dos apenados para cantar, fazer música e ressocializar.

Para o professor responsável pelas aulas, Miqueias Fernandes, a educação musical permite ao ser humano buscar um equilíbrio entre razão e a emoção, provocando reflexão. “Com as aulas, estabelecemos atividades que desenvolvem a linguagem musical e oral, juntamente com habilidades rítmicas, visuais, motoras, físicas e psicológicas dos participantes”, disse o professor.

Na Unidade Prisional do Puraquequara, entre as aulas oferecidas aos internos estão a de canto coral, flauta doce, oficina e de violão em grupo.

Primeira turma – A primeira turma do Projeto Harmonizar em 2018, foi composta por aproximadamente 100 internos das unidades do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), Penitenciária Feminina de Manaus (PFM), Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF).

 

Clique para comentar

Envie seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

17 − quatro =