Siga nas Redes Sociais

Olá, o que procuras?

Dia a Dia

Professor de dança teve faca cravada no peito pelo namorado; relação de 5 anos era marcada por brigas

Contudo, a polícia já estava com as imagens das câmeras de segurança que registraram o homicídio e tinha ouvido uma testemunha ocular que desmentiu a versão: “Existia uma testemunha ocular e ela diz que essa versão não existe e que ...
Foto: Divulgação

Manaus/AM – Diego Ribeiro da Silva, 30, preso pelo assassinato do professor de dança, Alex Rene Mota, 46, era namorado da vítima e mantinha um relacionamento de pelo menos 5 anos com ela.

De acordo com a delegada Débora Barreiros, o casal tinha uma relação conturbada, marcada por brigas polêmicas e idas e vindas. A polícia apurou que Diego também se relacionava com mulheres, mas sempre que os relacionamentos não davam certo, ele voltava para o professor.

Porém, passava-se algum tempo e as brigas recomeçavam. No dia do crime, Alex e Diego tiveram mais uma discussão, mas desta vez, Diego acabou atacando Rene com uma facada no peito.

“No dia do crime eles tiveram uma discussão e o Diego passou a humilhar a vítima e dizer que o mesmo era portador de HIV e durante essa discussão ele começou a bater no Alex, e ainda pegou uma faca, durante a tentativa de fuga da vítima, ela foi alvejada com uma facada no peito e a vítima veio à óbito”, explica.

Segundo a delegada, Diego fugiu do local do crime, mas na terça-feira (21), se apresentou na delegacia com o advogado e afirmou que matou Rene em legítima defesa.

“Ele compareceu na delegacia apresentando-se espontaneamente com o advogado, quando já tinha um mandado de prisão contra ele, e disse que a briga se iniciou pelo Alex. Ele disse que no momento em que a vítima pegou uma faca pra investir contra ele, ele conseguiu torcer a mão da vítima e cravar no peito desta”, diz Debóra.

Contudo, a polícia já estava com as imagens das câmeras de segurança que registraram o homicídio e tinha ouvido uma testemunha ocular que desmentiu a versão: “Existia uma testemunha ocular e ela diz que essa versão não existe e que não foi assim que o fato ocorreu”.

As imagens também contradiz o depoimento de Diego e mostram que ele partiu violentamente para cima da vítima. O acusado já tem passagens pela polícia por violência doméstica contra outras duas mulheres, além de crime como estelionato, desacato à autoridade e deve permanecer preso.

 

Clique para comentar

Envie seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

6 + quinze =