Siga nas Redes Sociais

Olá, o que procuras?

Política

O eminente “racha” no grupo político comandado por Normando Bessa nas eleições de 2016

O ex-secretário Raifran Brandão Araújo, do prefeito de Tefé, Normando Bessa (PMN) disparou nas redes sociais, no último dia 26, que a manifestação de professores serve de pano de fundo para oposição em Tefé e que “a popularidade do prefeito Normando Bessa anda em baixa na sede do município isso não é novidade para ninguém”.

Em um comentário bastante extenso publicado em sua rede social, o ex-secretário mostrou a insatisfação, em perder a vaga na secretaria de comunicação para Orange Cavalcante. Raifran aproveitou a postagem para relatar a gestão desastrosa que o prefeito vem tendo no comentando da prefeitura de Tefé.

“é notório que o problema do sistema viário urbano é o principal responsável por essa condição. Aliás, desde que era candidato Normando já tinha em mãos uma pesquisa que apontava isso como o maior problema a ser enfrentado pelo governo municipal, assim como a solução desse gargalo colocaria em comodidade eleitoral qualquer salvador da pátria”, disse o ex-secretário.

O ex-secretário mostra que falta gestão “O problema não é de hoje e nem é só de Tefé, se arrasta há algumas dezenas de anos e como em todas as outras cidades do interior do Amazonas, Tefé recebeu intervenções de melhorias no Estado em ano eleitoral, como já se pode ver por aqui”, disparou Brandão.

Caos e abandono da prefeitura de Tefé

“Em tom sensacionalista e de clara manifestação partidária foi possível ouvir o clamor de manifestantes que oportunamente fizeram uso da palavra ou de cartazes para demonstrar a insatisfação da população tefeense, usando a manifestação legítima dos professores como pano de fundo tentando passar a ideia de que o povo estava nas ruas para contestar o ‘caos e o abandono que vive Tefé’”.

 

Veja a publicação na íntegra

Manifestação de professores serve de pano de fundo para oposição em Tefé

Que a popularidade do prefeito Normando Bessa anda em baixa na sede do município isso não é novidade para ninguém. Como também é notório que o problema do sistema viário urbano é o principal responsável por essa condição. Aliás, desde que era candidato Normando já tinha em mãos uma pesquisa que apontava isso como o maior problema a ser enfrentado pelo governo municipal, assim como a solução desse gargalo colocaria em comodidade eleitoral qualquer salvador da pátria.

O problema não é de hoje e nem é só de Tefé, se arrasta há algumas dezenas de anos e como em todas as outras cidades do interior do Amazonas, Tefé recebeu intervenções de melhorias no Estado em ano eleitoral, como já se pode ver por aqui.

Em tom sensacionalista e de clara manifestação partidária foi possível ouvir o clamor de manifestantes que oportunamente fizeram uso da palavra ou de cartazes para demonstrar a insatisfação da população tefeense, usando a manifestação legítima dos professores como pano de fundo tentando passar a ideia de que o povo estava nas ruas para contestar o “caos e o abandono que vive Tefé”.

As manifestações legitimam cobranças e erros no governo não faltam para isso, pequenos e grandes, mas são incontestáveis os acertos e intervenções que melhoraram a vida da população e adjetivar o município como situação de caos e abandono é um erro clássico de semântica para não dizer um exemplo claro de partidarismo inconformado.

Não vejo, sinceramente, problema em reivindicar melhorias, pelo contrário, mas é, no mínimo, de se estranhar “lideranças” que sempre assistiram passivamente os atos ostensivos de corrupção no município e que sempre se mostraram incapazes de levantar um dedo, muito menos uma bandeira de luta pra contestar alguma coisa, hoje se posicionar como se o município revivesse de perto o passado recente.

Outra coisa que chamou atenção nesse ato foi o esforço midiático em mudar o foco da manifestação, colocando demandas do município como pauta principal da reivindicação, o que sabidamente não é verdadeiro.

Em tempos de impopularidade e de cobrança, ainda que às vezes exacerbada, é sempre bom o governo abrir as portas da humildade, fechar as portas da vaidade e reavaliar o que pode ser melhorado, afinal de contas a ele foi dada a confiança de mudar os rumos do nosso município e a ele não será tolerado os erros do passado. Mas é importante para quem reivindica pontuar aquilo que está se reivindicando e não tentar fazer de sua pauta um posicionamento de cobranças infundadas.

(Raifran Brandão)

 

Clique para comentar

Envie seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

7 − um =