Siga nas Redes Sociais

Olá, o que procuras?

Economia

Nascem as primeiras startups do Programa Prioritário em Economia Digital

Cidades Inteligentes, Big Data e Cloud foram as três áreas contempladas nas primeiras startups geradas a partir dos recursos de P&D das empresas instaladas no Polo Industrial de Manaus
Três startups estão em desenvolvimento com o apoio do Programa Prioritário em Economia Digital: a ArkA, a Plugae e a Safelatina, investindo em pesquisa e desenvolvimento de negócios em áreas tecnológicas de vanguarda que geram emprego, renda e impostos para a região.
Normatizado em setembro de 2017, o Programa já rende frutos para a região.

O Instituto de Desenvolvimento Tecnológico (INDT), Coordenador do Programa, vem desenvolvendo um planejamento e alinhando estratégias para tornar a cidade de Manaus um dos maiores polos de economia criativa do Brasil.

Desde o início do projeto, o INDT fez a análise de mais de 200 projetos candidatos a receberem o apoio do Programa para entrarem em desenvolvimento.

ARKA – Solução na área de Segurança
A ArkA está desenvolvendo na área de Cidades Inteligentes, o Arkanjo, uma solução de segurança pessoal que promove a integração entre um aplicativo de botão de pânico e uma central remota de monitoramento. Esse projeto permite atuar no socorro a roubos, além da prevenção de furtos e sinistros.

As principais funcionalidades são: notificação de emergências ou ocorrências a partir do aplicativo e botão físico, conectado via bluetooth; envio de streaming da câmera do cliente da empresa de segurança eletrônica; e envio da localização da emergência ou ocorrência.

Ela é importante para a Amazônia porque a população terá uma forma disponível e unificada para notificar ocorrências de segurança que poderão ser visualizadas e tratadas pelos órgãos de segurança pública.

STARTUP PLUGAE – solução para novos negócios via e-commerce
É o primeiro marketplace do Amazonas. A Plugae está desenvolvendo na área de Big Data, o Spider, uma solução que promove a integração e conexão de indústrias, distribuidores, importadores e varejistas ao seu consumidor final.

Além de promover melhorias na experiência de atendimento e operação dos clientes lojistas, elimina custos fixos, faz o gerenciamento de custos logísticos do processo de vendas e prove uma forma segura e confiável para a conciliação financeira.

Esta startup é muito importante para a região porque ela aumenta o potencial de comercialização dos produtos produzidos no Polo Industrial de Manaus para todo o Brasil, destaca o Gerente Técnico e Comercial do Programa Prioritário em Economia Digital, Marivaldo Albuquerque. “O diferencial do Spider, da Plugae, é a integração.

Quando você é um comerciante na Amazônia e quer vender, via e-commerce, para todo o Brasil, precisa fazer contato a contato com os vários marketplace espalhados pelo País, se adaptando a cada condição específica por cada marketplace. Com a Plugae, o comerciante em Manaus estará automaticamente dentro dos 16 maiores marketplace do Brasil, ou seja, ao contratar a solução, a empresa não precisa fazer um contrato individual, a solução oferecida pela Plugae faz essa integração de forma automática. Uma vez que sua empresa está integrada ao Spider, automaticamente poderá estar integrada ao B2W, Netshoes, Magazine Luiza, etc.” explica Marivaldo.

É um processo novo, enxuto, para as empresas disponibilizarem seu produto para todo o Brasil. Hoje, algumas das tecnologias já estão em desenvolvimento e já dá para atender ao mercado. O serviço da startup já existe e já pode ser adquirido pelas empresas que tiverem interesse. A tecnologia para o escalonamento dessa potencialidade tem previsão de conclusão até setembro de 2018.

SPIN-OFF SAFELATINA – solução de segurança de dados

O Projeto, na área de Cloud, é o Cloud Backup, uma solução de BaaS (backup as a service) multiplataforma que promove a geração de backup na nuvem, por meio físico (fitas) e gestão remota de backup de dados de múltiplos usuários. Essa solução permite que os clientes de todos os portes (pequeno, médio e grande porte) mantenham seus dados seguros.
Essa solução é aderente às regras do Marco Civil, permitindo que clientes de todos os portes mantenham seus dados seguros e em conformidade com legislação. Isso propiciará escala nacional de curto prazo.

PROJEÇÃO DE RETORNO O INDT fez uma projeção dos impactos de cada startup, baseados no business cases de uma.

O Arkanjo, da Arka, por exemplo, tem sua projeção estimada para 5 anos, com geração de empregos diretos na ordem de 48 pessoas, com projeção estimulada de R$ 3 milhões de reais por ano em impostos sobre serviços locais, sem contar os federais. Já o Spider, da Plugae, no primeiro ano tem projeção de 20 empregos diretos e R$ 2,5 milhões por ano em impostos sobre serviços locais. O Cloud Backup, da Safelatina, tem para o primeiro ano a projeção de 15 empregos diretos e a projeção estimulada de geração de R$ 1 milhão de reais em impostos locais. Vale salientar que, em termos de tecnologia, as estatísticas mundiais apontam que para cada emprego direto, são gerados 5 empregos indiretos. Somente com essas três startups, a projeção é ter mais de 400 empregos gerados na área tecnológica e mais de R$ 4 milhões de reais em impostos locais após o primeiro ano de investimento.

Para 2018, a projeção é iniciar entre 6 a 10 novas startups. “Se fizermos uma projeção rápida, com base nas três já em andamento, teremos mais de 4000 empregos sendo gerados na área já em 2019, 2020, e impostos locais na casa de R$ 60 milhões anuais”, explica Marivaldo.

Dentro do planejamento estratégico do INDT há a diretriz de fortalecer o ecossistema local de inovação, P&D, economia criativa e bioeconomia. Por meio do Programa Prioritário, e um dos avanços neste sentido, é com uma nova força de aceleração na Amazônia. Dentro do INDT está sendo instalada a Startadora, uma aceleradora de startups, com uma metodologia nova, local, para a aceleração encadeada de negócios, e o mais importante, que atenda as diretrizes do Programa Prioritário. Isso dará uma base mais robusta na estruturação das startups advindas do Programa Prioritário em Economia Digital.

Sobre o Programa Prioritário em Economia Digital:

O Programa Prioritário em Economia Digital é uma iniciativa governamental para a criação de um sólido Polo Tecnológico de Inovação global na região Amazônica. Seu foco é fomentar o crescimento do ecossistema de empresas nascentes de base Tecnológicas, (startups locais, spin offs) e aumentar o portfólio de projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação em sete áreas-chave. Para as empresas da ZFM, o programa traz inúmeras vantagens eliminando os riscos de glosas de investimento e desburocratização dentre outros em relação ao modelo tradicional de aportes de P&D associados a incentivos fiscais da Lei de Informática.

O modelo também permite a participação acionária em novos negócios gerados a partir do programa. O INDT é o coordenador deste programa em Manaus e pode ser contatado pelo e-mail programa.prioritario@indt.org.br.

Clique para comentar

Envie seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 − seis =