Idosa com covid morre no AM após família se revezar para bombear ar

Idosa com covid morre no AM após família se revezar para bombear ar

Do UOL 

A idosa Joecy Coelho da Silva, 83, cujos familiares se revezavam bombeando ar manualmente para que ela se mantivesse com oxigênio, acabou por não resistir às complicações decorrentes da covid-19 e morreu na sexta-feira (15). Em sua certidão de óbito consta síndrome respiratória e asfixia.

Os parentes fizeram um mutirão para bombear ar manualmente devido à falta de oxigênio no SPA (Serviços de Pronto Atendimento) de Redenção, em Manaus, onde ela estava hospitalizada.

Na quinta-feira (14), a unidade de saúde havia liberado os cilindros de oxigênio vazios para que as famílias recarregassem por conta própria.

O neto da idosa, o publicitário Luis Queiros, 32, explicou ao UOL que foi a três lugares diferentes e entrou em contato com outros 40 estabelecimentos.

Na madrugada de sexta, ele retomou a peregrinação, ficou em uma lista de espera em uma fábrica e conseguiu encher o botijão. Porém, ao retornar para o hospital, a avó não havia resistido.

A morte da idosa foi confirmada pela esposa do publicitário, Elka Albuquerque, 32.

“Ele (o Luis) ficou sabendo que tinha oxigênio em um lugar da cidade e ele foi lá atrás. Tentou encher (o cilindro) a madrugada inteira. Acho que ele foi umas duas a três vezes encher. Mas infelizmente da última vez ela não aguentou”, conta.

Joyce faleceu na manhã de sexta, mas a pedido da família o UOL não divulgou a morte ou atualizou a matéria anterior. Os parentes temiam que o marido dela – também hospitalizado pela covid – soubesse da morte de forma desavisada. A autorização só veio hoje.

Família alugou cilindro menor

A família havia conseguido alugar um cilindro menor por R$ 500, descarregado. Porém, esse botijão servia como quebra galho, já que é pequeno e o oxigênio se esgota em menos de 1 hora. Por isso, a família decidiu passar a noite bombeando manualmente o ar para a idosa, enquanto não conseguiam recarregar um dos cilindros.

Joecy estava internada por covid-19 desde 7 de janeiro e, segundo o neto, estava bastante debilitada. A saturação de oxigênio dela chegou a 35%, enquanto o nível considerado adequado deve ficar acima de 90%.

O marido de Joecy, Antônio Pereira da Silva, 81, também está internado por covid-19, mas em outra unidade, do outro lado da cidade. Segundo Queiros, a situação dele é considerada menos preocupante. O idoso está hospitalizado desde terça-feira (12).