Siga nas Redes Sociais

Olá, o que procuras?

Dia a Dia

Gabriel Monteiro, já na cadeia, tem prisão por assédio sexual decretada

O processo corre em segredo de Justiça e, por isso, a ordem de prisão só foi divulgada nesta quarta-feira, 23.
Foto: Divulgação

Preso preventivamente desde o último dia 7 sob acusação de estuprar uma mulher, o youtuber e ex-vereador do Rio de Janeiro Gabriel Monteiro, de 28 anos, teve outra ordem de prisão expedida contra si pela Justiça.

Esse segundo mandado de prisão preventiva foi expedido no último dia 8 pela juíza Simone de Faria Ferraz, da 43ª Vara Criminal do Rio, e se deve a acusações de violação sexual mediante fraude e assédio sexual praticados contra pessoas que trabalharam como assessores parlamentares de Monteiro quando ele era vereador no Rio.

O caso foi investigado pela 42ª DP (Recreio dos Bandeirantes) e foi uma das razões apresentadas pelo Conselho de Ética da Câmara do Rio para justificar a quebra de decoro parlamentar e posterior cassação do vereador, em agosto passado.

O processo corre em segredo de Justiça e, por isso, a ordem de prisão só foi divulgada nesta quarta-feira, 23. Partes envolvidas no processo confirmaram o mandado. Consultada pelo Estadão/Broadcast, a assessoria do ex-parlamentar não havia se manifestado até a publicação desta reportagem.

Primeira prisão 

A primeira prisão preventiva de Monteiro foi decretada no dia 7 de novembro pelo juiz Rudi Baldi Loewenkron, da 34ª Vara Criminal do Rio, atendendo pedido do Ministério Público do Estado do Rio (MP-RJ). Segundo a denúncia, no dia 15 de julho, Monteiro estuprou uma jovem de 23 anos que conheceu na boate Vitrinni, na Barra da Tijuca, bairro da zona oeste do Rio.

De acordo com o MP-RJ, o ex-vereador tentou “tirar a roupa da jovem à força e manteve com ela relações sexuais de forma violenta e sem o uso de preservativo, contrariando os pedidos da vítima”. A vítima também acusa o ex-vereador de tê-la contaminado com o vírus HPV.

Após a decretação da prisão, Monteiro se entregou à polícia, em uma delegacia de Niterói, na região metropolitana do Rio. Antes, ele gravou um vídeo negando a acusação de estupro.

 

Clique para comentar

Envie seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 − oito =