Siga nas Redes Sociais

Olá, o que procuras?

Manchete

EXCLUSIVO-Índia considera permitir exportações de açúcar bruto estocado, dizem fontes

Os estoques são estimados em cerca de meio milhão de toneladas de açúcar bruto, incluindo cerca de 200.000 toneladas retidas nos portos de todo o país.
REUTERS/Rupak De Chowdhuri

A Índia está considerando permitir que as usinas exportem estoques de açúcar bruto que se acumularam em portos e armazéns, disseram fontes do comércio e do governo nesta terça-feira, semanas depois de impor restrições à venda do adoçante no exterior.

Embarques adicionais da Índia, o maior exportador mundial de açúcar depois do Brasil, podem pesar sobre os futuros de açúcar bruto, que estão sendo negociados perto do menor nível em quatro meses.

No mês passado, a Índia limitou as exportações desta temporada a 10 milhões de toneladas, em uma tentativa de evitar um aumento nos preços domésticos, enquanto o segundo país mais populoso do mundo luta contra a alta inflação de alimentos.

“Estamos avaliando”, disse um alto funcionário do governo, que pediu anonimato devido a regras oficiais.

“A proposta do açúcar bruto está em análise”, disse ele, em referência a um pedido das usinas de açúcar para que o governo permita o envio de estoques não refinados enquanto lidam com os estoques crescentes do adoçante após o teto das exportações.

Um porta-voz do governo não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

Os estoques são estimados em cerca de meio milhão de toneladas de açúcar bruto, incluindo cerca de 200.000 toneladas retidas nos portos de todo o país.

Autoridades do comércio, da indústria e do governo dizem que, do recorde de 10 milhões de toneladas de açúcar exportado pela Índia neste ano, o açúcar bruto respondeu por cerca de 4,5 milhões, enquanto o restante era branco, ou refinado.

As usinas indianas produzem açúcar bruto apenas para as refinarias no exterior que transformam o produto em açúcar branco.

Nos últimos anos, a Índia tem exportado quantidades razoavelmente grandes de açúcar bruto, posicionando-se como um fornecedor consistente ao lado dos principais players, Brasil e Tailândia.

“Como o açúcar bruto não pode ser vendido no mercado doméstico, faz sentido exportá-lo”, disse Aditya Jhunjhunwala, presidente da Associação Indiana de Usinas de Açúcar, um órgão de produtores.

“Caso contrário, a qualidade de nossos estoques pode se deteriorar com o tempo.”

Um trader de Mumbai disse que o governo já coletou dados de usinas e exportadores sobre as exportações de açúcar bruto.

A redução repentina nas exportações de açúcar e as dificuldades de logística, como a falta de caminhões e vagões ferroviários, impediram as usinas de enviar matérias-primas, disse um trader de Nova Délhi com uma trading global.

“Se o governo permitir que as usinas exportem seus estoques, haverá muitos compradores, pois o açúcar indiano é muito competitivo no mercado mundial”, disse ele.

 

Clique para comentar

Envie seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

quatro × 1 =