Estimativa da População: Manaus concentra 53% da população do Estado

Estimativa da População: Manaus concentra 53% da população do Estado

Da redação 

 

A divulgação anual das estimativas da população residente nos municípios brasileiros obedece ao artigo 102 da Lei nº 8.443/1992 e à Lei complementar nº 143/2013. As estimativas populacionais municipais são um dos parâmetros utilizados pelo Tribunal de Contas da União no cálculo do Fundo de Participação de Estados e Municípios e são fundamentais para o cálculo de indicadores econômicos e sociodemográficos.

As populações dos municípios foram estimadas por método matemático (ver Nota Metodológica) e são o resultado da distribuição das populações dos estados, projetadas por métodos demográficos, entre seus diversos munícipios. O método baseia-se na população estadual projetada e na tendência de crescimento dos municípios, delineada pelas populações municipais captadas nos dois últimos Censos Demográficos (2000 e 2010) e ajustadas. As estimativas municipais também incorporam alterações de limites territoriais que tenham ocorrido entre os municípios após 2010.

Segundo as estimativas de população, em 1º de julho de 2020 o Brasil contava com 211,8 milhões de habitantes, distribuídos pelos 5.570 municípios que compõem as 27 Unidades da Federação, com um acréscimo populacional de 0,77% em relação ao ano anterior.

Uma vez estimadas as populações municipais, o total da população de cada Unidade da Federação é obtido pela soma da população dos municípios que as compõem.

O Amazonas com sua população de 4.207.714 ocupa a 13ª posição no ranking nacional, e sua população representa 2,0% do contingente nacional. Na Região Norte, o estado possui a segunda maior população, atrás do Pará com 8.690.745.

CONCENTRAÇÃO DA POPULAÇÃO NOS GRANDES MUNICÍPIOS

Conforme tendência delineada nas populações recenseadas em 2000 e 2010, em 2020 pouco mais da metade da população brasileira (57,6% ou 122,0 milhões de habitantes) concentra-se em apenas 5,8% dos municípios (326 municípios), que são aqueles com mais de 100 mil habitantes. Considerando apenas os municípios com mais de 500 mil habitantes (49 municípios), estes concentram aproximadamente 1/3 da população brasileira (31,9% da população do país ou 66,5 milhões de habitantes). Por outro lado, a maior parte dos municípios brasileiros (67,9%, ou 3.783 municípios) possuem até 20 mil habitantes, e concentram apenas 15,0% da população de todo o País (31,8 milhões de habitantes) 

MUNICÍPIOS MAIS POPULOSOS

Na última década, observou-se um aumento gradativo da quantidade de grandes municípios do País. No Censo de 2010, 38 municípios tinham população superior a 500 mil habitantes, sendo que 15 destes tinham mais de 1 milhão de moradores. Em 2020, são 49 os municípios brasileiros com mais de 500 mil habitantes, sendo que 17 destes superam a marca de 1 milhão de habitantes.

Dos 17 municípios com população superior a um milhão de habitantes, 14 são capitais estaduais. Esses municípios concentram 21,9% da população do País. O município de São Paulo continua sendo o mais populoso do país, com 12,33 milhões de habitantes, seguido pelo Rio de Janeiro (6,75 milhões de habitantes), Brasília e Salvador.

Manaus passou a ter 2.219.580 habitantes de acordo com a estimativa de 2020. E assim, continua como a sétima maior cidade brasileira em quantitativo populacional, sendo a primeira da Região Norte e a quarta considerando as Regiões Norte, Nordeste e Centro Oeste do país.

Entre os municípios menos populosos, há 30 municípios com população inferior a 1.500 habitantes, sendo que quatro deles possuem população inferior a 1.000 habitantes. São eles: Serra da Saudade (MG) com 776 habitantes, Borá (SP) com 838 habitantes, Araguainha (MT) com 946 habitantes e Engenho Velho, com 982 habitantes.

O conjunto das 27 capitais supera os 50 milhões de habitantes, representando, em 2020, 23,86% da população total do País. A capital com maior taxa de crescimento geométrico no período 2019-2020 é estimada para Boa Vista, 5,12%, e, a menor, para Porto Alegre, com 0,30% de crescimento.

Embora o conjunto dos municípios das capitais tenha tido uma taxa de crescimento geométrico mais que a média do país (0,84% contra 0,77%).

Considerando a composição das Regiões Metropolitanas de 31 de dezembro de 2019, a Região Metropolitana de São Paulo, em 1º de julho de 2020, é a mais populosa do País, com 21,9 milhões de habitantes, seguida da Região Metropolitana do Rio de Janeiro (12,8 mi-lhões de habitantes), da Região Metropolitana de Belo Horizonte (6,0 milhões de habitantes) e da Região Integrada de Desenvolvimento (RIDE) do Distrito Federal e Entorno (4,7 milhões de habitantes).

A soma das 28 Regiões Metropolitanas, RIDEs e Aglomerações Urbanas que possuem mais de 1 milhão de habitantes superou em 2020 a marca dos 100 milhões de habitantes.

As taxas de crescimento das maiores Regiões Metropolitanas do país (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Fortaleza, Recife e Salvador) são ligeiramente inferi-ores à média do país. E entre essas principais RMs é possível observar ainda que o cresci-mento do município sede é, na maioria dos casos, mais baixo do que o verificado no restante da RM, especialmente nas áreas metropolitanas mais consolidadas.

Os dez maiores municípios do estado, concentram 2.926.552 habitantes e representam 70% da população total. A ordem não tem se alterado nos últimos anos, Manaus representa 53% da população do Amazonas. A segunda posição é Parintins com 115.363 habitantes. O domínio populacional da capital em relação aos outros municípios vem aumentando a cada ano.

Japurá, Itamarati e Silves foram os três municípios com menor população no Estado. Seguidos de Itapiranga, Amaturá, Caapiranga e Uarini. Em 2020, Japurá atingiu sua menor população, como consequência da taxa de crescimento negativa aplicada a cada ano em sua população.

Manaus foi o município do Estado que mais incorporou população em 2020 (36.817 pessoas); Itacoatiara (1.364), Tabatinga (1.338), Maués (1.135) e Manacapuru (1.125), formam o grupo dos municípios com maior incremento populacional em 2020. Por outro lado, houve oito municípios com perda de população. Fonte Boa (-604), Japurá (-504) e Jutaí (-431) são os três que mais perderam população em relação ao ano anterior.

Percentualmente, os municípios que mais cresceram na comparação 2020 com 2019, foram Manaquiri (2,94%), Santa Isabel do Rio Negro (2,82%) e Juruá (2,68%). Já os que mais caíram foram: Japurá (-18,29%), Fonte Boa (-3,43%) e Jutaí (-3,01%).

 

Outros destaques:

· Manaus é a sétima capital do país em população e a primeira da Região Norte;

· O Amazonas é o 13º Estado em população no Brasil e o segundo da Região Norte;

· Mais da metade da população brasileira está concentrada em 6% dos municípios.

· As capitais são responsáveis por 50 milhões de habitantes do país;

· Boa Vista é a capital que mais cresce. Porto Alegre a que menos aumenta;

· Os dez maiores municípios do Amazonas representam 70% da população do Estado;

· Japurá, Itamarati e Silves foram os três municípios com menor população no Estado;

· Oito municípios amazonenses tiveram quedas de população.

· Manaquiri possui a maior taxa de crescimento e Japurá a menor, no Estado.