Siga nas Redes Sociais

Olá, o que procuras?

Manchete

Em resposta a vereadores, Águas de Manaus afirma que esgoto sanitário é de 26%

“O esgotamento sanitário saltou para 26%, chegando hoje a 500 mil pessoas. Manaus é a cidade que mais avançou na coleta total de esgoto no Brasil. O serviço segue em expansão e, nos próximos anos, deve receber investimentos próximos de ...
Foto: Divulgação

 

Em respostas a vereadores da Câmara Municipal de Manaus (CMM), que criticaram sobre as aberturas de buracos por ruas recém reformadas em Manaus pela concessionária Águas de Manaus, a instituição afirmou ao Portal Em Pauta Online (EPO) que esgoto sanitário é de 26% na capital.

“O esgotamento sanitário saltou para 26%, chegando hoje a 500 mil pessoas. Manaus é a cidade que mais avançou na coleta total de esgoto no Brasil. O serviço segue em expansão e, nos próximos anos, deve receber investimentos próximos de R$ 1 bilhão”, disse ao EPO.

A Águas de Manaus reforçou que segue à disposição de todos os órgãos públicos para prestar informações sobre os sistemas de abastecimento de água e esgotamento sanitário da cidade.

A empresa pontuou que, desde o momento no qual assumiu a gestão destes sistemas em Manaus, mais de R$500 milhões foram investidos em melhorias. “Manaus é a capital do Norte e Nordeste que mais investiu em saneamento básico nos últimos quatro anos. A cidade é a capital brasileira que mais ampliou o acesso à água tratada no período, chegando à universalização do serviço e garantindo a chegada da água tratada em áreas vulneráveis, como becos, palafitas e rip-raps”, disse.

Metas

Ao EPO, a Águas de Manaus destacou que a concessionária vem cumprindo integralmente todas as metas contratuais previstas. O processo de metas é auditado por empresas independentes e pela Agência Reguladora do Município (Ageman). A empresa também mantém um diálogo constante com vereadores e demais órgãos fiscalizadores sobre o assunto.

Tarifa

A instituição falou que a tarifa de esgoto reforça que age conforme estabelecem o contrato de concessão, as leis federais nº 14.026/2020, nº 11.445/2007 e o Manual de Prestação de Serviços e Atendimento ao Consumidor (MPSAC). Apenas imóveis que possuem o serviço de esgoto disponível pagam a tarifa. O serviço não é cobrado em regiões da cidade onde não há rede disponível.

“Os processos de definição de tarifa e de reajustes não são estabelecidos pela empresa e apenas seguem o previsto no contrato de concessão. Todos são homologados pela Agência Reguladora dos Serviços Públicos Delegados do Município de Manaus (Ageman)”, acrescentou a empresa.

Ainda ao EPO, a Águas de Manaus afirmou que nos próximos anos, a concessionária deve investir mais de R$1 bilhão na cidade, transformando a capital amazonense em referência nacional no setor.

Clique para comentar

Envie seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

5 × 3 =