Em ascensão, criptomoeda Delos Defi aparece no ranking da CoinMarketCap

Em ascensão, criptomoeda Delos Defi aparece no ranking da CoinMarketCap

A Delos Defi, mais novo e promissor projeto brasileiro de finanças descentralizadas, acaba de dar mais um passo em sua ainda curta mas já impressionante trajetória. A recém nascida criptomoeda foi listada nesta semana na CoinMarketCap e CoinGecko, os maiores sites de ranqueamento e monitoramento de preços de criptoativos no mundo.

Com menos de dois meses de existência, a Delos têm números que justificam seu sucesso. Com pré-venda finalizada em 22 de agosto, pelo valor de 0,0000030 USD, a moeda atingiu a alta história (ATH) em 3 de outubro, com 0,00003138 USD, o que representa mais de 950% de valorização, número que voltou a esse patamar em alta acumulado nesta semana.

Além disso, o projeto de NFT atingiu sua meta de quantidade de holders em 30 dias, quando alcançou mais 1,5 mil detentores da moeda, que investiram no projeto e agora veem seus rendimentos valorizarem. Nesta segunda-feira (11), a quantidade de holders superou os 2,5 mil, feito notável para um projeto ainda em fase inicial.

Mas quais as razões explicam ainda o sucesso desse projeto de criptomoeda brasileiro?

À frente do projeto, o economista e consultor em finanças descentralizadas Rodrigo Pereira, explica que a valorização em curto espaço de tempo não era necessariamente uma meta da Delos, chegando a pegar a equipe de surpresa. O foco, segundo ele, seria mais a longo prazo: uma valorização “orgânica” e estável da moeda.

Contudo, ele celebra a alta, atribuindo a valorização do token à própria natureza do projeto da Delos, que tem o mérito de unir o mundo das cripto ao mercado convencional.

Já em sua criação, a Delos prevê a criação de mecanismos de redistribuição dos rendimentos de ativos digitais para o financiamento de empreendimentos no mundo real, como os setores agrícola, imobiliário, entre outros ramos consolidados de negócio.

A ideia seria não apenas financiar empreendimentos em condições melhores das do mercado de capitais convencional, como proporcionar melhores rendimentos aos investidores desse mercado, com a vantagem de se conectar ao mundo dos ativos digitais.

“Acredito que a ‘sacada’ da Delos tenha sido essa, de linkar um projeto de NTF com os rendimentos que esses empreendimentos possam vir a ter no futuro. Isso é bom tanto para o dono do empreendimento em parceria conosco, que precisa dessa aporte para não ficar refém de uma linha de crédito na aquisição de um maquinário, por exemplo, quanto para o pequeno produtor, que quer entrar nesses empreendimentos mais perenes do mundo real, mas se conectando ao mundo cripto, que desburocratiza e melhora a parte de recompensas para o investidor”, diz Rodrigo.

Rendimentos em dólar

Outro fato que pode explicar a alta da Delos é a distribuição de rendimentos em BUSD, o dólar americano digitalizado.
“O fato de que, só por deter a moeda em sua carteira, você começa a participar de uma pull de bonificação, em BUSD, também chama atenção. Funciona como um fundo imobiliário. Você mantém a moeda, e todo santo dia cai, livre para você, uma bonificação por você ter ficado com aquela moeda, calculado em 4% de todo esse volume transacionado da moeda naquele dia”, diz ele.