Economia circular exige uma nova visão sobre os processos de produção

Economia circular exige uma nova visão sobre os processos de produção

 

 

O Brasil passa pela maior crise hídrica em 91 anos, e nesse cenário, autoridades estão pedindo ou promovendo campanhas para que os setores produtivos e a população reduzam o consumo de água e de luz, já que a crise hídrica também já impacta na geração de energia.

 

Dentre as alternativas, a chamada economia circular oferece técnicas a empresas que podem ajudar a evitar novas crises e amenizar a atual.

 

Dados da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) de 2017 mostram que os setores de irrigação, uso animal e de indústrias possuem os maiores consumos de água.

 

Em relação ao retorno da água aos corpos hídricos (rios e cursos subterrâneos), o setor de abastecimento urbano é o que devolve a maior quantidade, seguido pelo de irrigação.

 

Especialistas consultados pela CNN Brasil apontam que os setores empresariais ainda possuem espaço para economizar água e devolver quantidades maiores ao meio ambiente. Para isso, porém, é necessário uma visão mais sistêmica desse consumo, e é aí que entra a economia circular.