Siga nas Redes Sociais

Olá, o que procuras?

Manaus,

Dia a Dia

Após força-tarefa, Governo do Amazonas libera corpos de todas as vítimas do acidente aéreo

Necropapiloscopia foi utilizada para se conseguir concluir a identificação das vítimas ainda na madrugada
FOTOS: Mauro Neto/Secom e Erlon Rodrigues/PC-AM

O Governo do Amazonas liberou, no início da madrugada desta segunda-feira (19/09), os corpos das 14 vítimas do acidente aéreo ocorrido em Barcelos (a 399 quilômetros de Manaus). Uma força-tarefa foi montada para a agilizar a identificação das vítimas e liberação das mesmas para os familiares, incluindo profissionais do Instituto Médico Legal (IML) e Instituto de Identificação (II). O acidente ocorreu na tarde do sábado (16/09).

A força-tarefa foi montada pelo Departamento de Polícia Técnico-Científica do Estado do Amazonas (DPTC), seguindo protocolos de Identificação de Vítimas de Desastres.

Desde a noite de sábado e durante todo o domingo, foram coletados os prontuários civis das vítimas, após solicitação do Instituto de Identificação aos estados de Goiás, Minas Gerais, Maranhão, São Paulo, Roraima e Paraná.

Na tarde de ontem (17/09), os corpos foram trazidos para a capital amazonense em uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB), em uma ação que incluiu os órgãos de Segurança Pública do Governo do Amazonas.

De acordo com a diretora do IML, Sanmya Leite, assim que os corpos foram levados ao instituto, os técnicos realizaram a necropsia e as coletas das digitais para serem confrontadas com os prontuários civis e posterior emissão do Laudo de Identificação.

“Os corpos vieram documentados, uma vez que todas as vítimas portavam os documentos pessoais na hora do acidente. Foram identificadas por metodologia técnico-científica, que é a necropapiloscopia, e a liberação ocorreu no início da madrugada”, explicou.

Participaram dos trabalhos três peritos criminais do Instituto de Identificação, três legistas do IML, além de oito auxiliares técnicos dos dois órgãos. O trabalho foi coordenado pelo Departamento de Polícia Técnico-Científica do Estado do Amazonas (DPTC), seguindo protocolos de Identificação de Vítimas de Desastres. Também houve apoio da Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas), que montou uma sala de apoio psicossocial aos familiares das vítimas na sede do IML.

Trabalho minucioso

O diretor do Instituto de Identificação, Mahatma Porto, explicou o trabalho realizado pelas equipes de identificação, ressaltando que em eventos onde acontecem muitas mortes, é preciso que haja uma identificação inequívoca de cada indivíduo.

“Não pode haver um simples reconhecimento, uma vez que muitas vezes os corpos estão irreconhecíveis. Não foi este o caso, pois os corpos estavam bem preservados, mas o método científico que atesta a individualização de uma pessoa é a identificação pelas suas impressões digitais, a princípio”, explicou.

O trabalho da força-tarefa incluiu seis etapas, começando pela solicitação dos prontuários civis das vítimas de outros estados, transporte dos corpos para Manaus, coleta das digitais e envio para o Instituto de Identificação, confrontação com os prontuários civis, emissão de laudos e envio para o IML, até a liberação do corpo pelo médico legista.

Apoio imediato

Nos primeiros minutos após o acidente aéreo, o Governo do Amazonas mobilizou os órgãos estaduais para prestar apoio na ocorrência.

Um comitê emergencial foi instalado e o trabalho reuniu a Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM), Polícia Militar do Amazonas (PMAM), Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM), Defesa Civil, DPTC e Seas, com o apoio da FAB, por meio do Sétimo Comando Aéreo Regional (VII Comar).

O acidente

A aeronave do modelo Embraer EMB-110 Bandeirante levava os 12 turistas a bordo, além do piloto e do copiloto. O avião saiu da capital com destino à cidade de Barcelos, no interior do estado, conhecida pelo turismo de pesca. A queda aconteceu quando o avião tentava pousar na cidade. Chovia forte no momento do desastre.

As investigações sobre as causas do acidente serão realizadas pela Polícia Civil do Amazonas e pelo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA VII).

Vítimas do acidente

– Renato Souza de Assis (GO)
– Marcos de Castro Zica (GO)
– Witter Ferreira de Faria (MG)
– Gilcresio Salvador de Medeiros (GO)
– Roland Montenegro Costa (MA)
– Fábio Ribeiro (PR)
– Luiz Carlos Cavalcante Garcia (SP)
– Guilherme Boaventura Rabelo (MG)
– Hamilton Alves Reis (SP)
– Heudes Freitas (MG)
– Euri Paulo dos Santos (MG)
– Fabio Campos de Assis (GO)
– Leandro Costa de Souza – (RR) – piloto
– Fernando Luiz Galvão Bezerra Júnior (CE) – copiloto

 

Clique para comentar

Envie seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

(92) 9 8446-0142

[email protected]

[email protected]

© 2019 - 2023 - Em Pauta Online - Todos os direitos reservados.

EP COMUNICACAO ASSESSORIA & MARKETING - CNPJ 29.008.396/0001-03

© 2019 - 2022 - Em Pauta Online - Todos os direitos reservados.