Siga nas Redes Sociais

Olá, o que procuras?

Manaus,

Manchete

Amazônia: sem chuvas e rios secando, estado entra em emergência

Seca antecipada fez o Acre decretar emergência
foto-rio-odair-leal-e1718165229688
Divulgação

O Acre decretou, nesta terça-feira (11), emergência ambiental por causa da pouca quantidade de chuvas, seca dos rios, além dos riscos de incêndios florestais.

O decreto de nº 11.492, publicado no Diário Oficial do Estado (DOE), é válido para os 22 municípios acreanos e considera dados mapeados que “apontam que os rios do Estado tendem a apresentar cotas mínimas inferiores às cotas baixas de alerta e alerta máximo nos próximos meses”.

O documento, assinado pelo governador Gladson Cameli, aponta para o baixo índice de chuvas para o período, aumento das temperaturas e queda nos percentuais de umidade relativa do ar, além do alerta para possível desabastecimento.

A situação alerta para uma possível seca antecipada, já que no ano passado, o decreto de emergência foi publicado em outubro.

“Com a redução na volumetria da precipitação de chuvas e a diminuição dos níveis dos cursos hídricos, haverá prejuízo às atividades de navegação e transporte de alimentos e pessoas e isolamento de comunidades e aldeias indígenas, ocasionando a diversos problemas de abastecimento”, complementa.

O decreto tem vigência até 31 de dezembro deste ano e pontua ainda que “a continuidade prevista do baixo volume de precipitação, aliada ao aumento de temperaturas, provoca a redução do armazenamento de água no solo no Estado e potencializa a probabilidade de ocorrência de situações emergenciais e intensificação de secas na região para o período”.

O alerta também é dado para a possibilidade de incêndios florestais em decorrência deste fenômeno climático, uma vez que altas temperaturas, ondas de calor, baixa umidade relativa do ar e intensos ventos favorecem as ocorrências de queimadas.

 

Clique para comentar

Envie seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *