Alejandro vai passar os 30 dias da prisão temporária no CDPM1

Alejandro vai passar os 30 dias da prisão temporária no CDPM1

Da Redação O enteado do prefeito de Manaus, Alejandro Valeiko, foi encaminhado para o Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM1), onde deverá passar os 30 dias de prisão temporária, conforme determinação do desembargador José Halmilton Saraiva, que resolveu derrubar a decisão da desembargadora Joana Meirelles, que havia concedido prisão domiciliar para o filho da primeira-dama do município, Elizabeth Valieko.

O enteado do prefeito de Manaus estava prestando depoimento na Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestro (DEHS), na noite dessa segunda-feira (7), quando recebeu a informação de que o desembargador José Hamilton teria convertido sua prisão domiciliar em prisão temporária.

Ainda na segunda-feira, Alejando foi levado algemado, para o Instituto Médico Legal (IML), para fazer exames de corpo e delito, depois, foi encaminhado para a triagem da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), até ser encaminhado para o CDPM1.

Entenda o caso

Alejandro Valeiko é suspeito de participar da morte do engenheiro Flávio Rodrigues. O engenheiro foi encontrado morto em uma estrada de barro no Tarumã, na segunda-feira (30). O enteado do prefeito de Manaus era considerado foragido da Justiça. Ele chegou em Manaus nesta segunda-feira (7).

A desembargadora Joana Meirelles concedeu, no domingo, o pedido de Habeas Corpus da defesa de Alejandro, transformando a prisão temporária em prisão domiciliar do filho da primeira-dama do município, ao acatar o pedido da defesa do suspeito, que informou a falta de “saúde mental” de Alejandro, pelo excessivo uso de entorpecentes, para permanecer preso. O pedido foi feito pelos advogados Marco Aurélio Choy e Yuri Dantas.

A justiça decretou a prisão de cinco suspeitos de envolvimento no homicídio do engenheiro foram presos e estão na carceragem da DEHS. Entre os presos estão: José Edvandro Martins de Souza Junior, 31; Elielton Magno de Menezes Gomes Junior, 22; o chefe de cozinha Vitorio Del Gatto, que morava na residência de Alejandro; o policial militar Elizeu da Paz de Souza, 37, que está lotado na Casa Militar da Prefeitura de Manaus e, segundo as investigações, seria segurança de Alejandro, além de Mayc Vinicius Teixeira Parede, 37.