Advogado de Amazonino cobra perícia de celular em processo de cassação de Wilson Lima

Advogado de Amazonino cobra perícia de celular em processo de cassação de Wilson Lima

Da redação

Advogados do ex-governador Amazonino Mendes (PDT) encaminharam um oficio ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM), nesta sexta-feira (12), cobrando a perícia do celular apreendido do ex-prefeito de Nhamundá (distante 386 quilômetros de Manaus), Mário Paulaín, acusado de compra de votos para favorecer a candidatura de Wilson Lima (PSC), durante o primeiro turno das eleições gerais de 2018.

O celular apreendido está em fase de perícia na Superintendência da Polícia Federal do Amazonas (PF). O pedido foi feito pelo advogado de Amazonino Mendes, Yuri Dantas, que informou que a Lei n° 9.504/97, prevê o prazo de um ano para o encerramento das ações que possam resultar na perda de mandato eletivo, no caso da representação feita contra o Governador Wilson Lima.

“Presente esse quadro, a ora peticionante requer o encaminhamento de novo ofício ao Departamento de Polícia Federal, para que informe o estágio em que se encontra e a data prevista para encerramento da perícia, sobretudo em obséquio ao disposto no art. 97-A da Lei n. 9.504/971 , que prevê o prazo de um ano para o encerramento dos feitos eleitorais dos quais possa resultar perda de mandato eletivo, como é o caso dos autos.”

De acordo com o advogado de Amazonino Mendes, em 20 de fevereiro de 2019, por determinação do Relator do processo no TRE-AM, foi encaminhado ao Departamento de Polícia Federal requerendo manifestação acerca do prazo de conclusão da perícia.

“Isso não obstante, até agora, 12 de julho, aproximadamente 6 meses depois do encaminhamento do ofício (e oito meses depois da entrega do aparelho celular ao Departamento de Polícia Federal), nem a perícia foi concluída, nem houve informação sobre a previsão de término da diligência”.